terça-feira, 3 de abril de 2018

Aprendizagem é um processo complexo, que envolve, essencialmente, motivação e emoção.

quinta-feira, 29 de março de 2018

Alfabetização e Letramento

Letramento é uma tradução para o português da palavra inglesa “literacy” que pode ser traduzida como a condição de ser letrado. Um indivíduo alfabetizado não é necessariamente um indivíduo letrado. Alfabetizado é aquele indivíduo que sabe ler e escrever; letrado é aquele que sabe ler e escrever, mas que responde adequadamente às demandas sociais da leitura e da escrita. Ou seja, estar letrado requer dizer que o indivíduo está inserido em seu meio social. Não podemos separar os dois processos, pois a princípio o estudo do aluno no universo da escrita se dá concomitantemente por meio desses dois processos: a alfabetização, e pelo desenvolvimento de habilidades da leitura e escrita, nas práticas sociais que envolvem a língua escrita , o letramento.
No ensino tradicional, o ensino do aprendizado da leitura e da escrita era feito através da cartilha, onde o domínio do código era suficiente para escrever uma carta, bilhetes, registro de compras, etc. Mas, com o processo crescente de expansão e globalização do capital, precisou-se de novos processos de comunicação entre os sujeitos. As informações do mundo moderno, requer rapidez na produção e recepção das informações exigindo novos meios de leitura e de escrita, denominados de letramento. 
No mundo globalizado e moderno, não basta apenas saber ler, é preciso saber fazer uso do ler e escrever. 
O letramento hoje, é uma condição necessária para que o indivíduo realize a sua cidadania, que se faz necessário para que possa compreender e interpretar o significado dos discursos, das informações que lhes são apresentadas todos os dias.
A alfabetização é o início do processo da aprendizagem da leitura e da escrita, que precisa desenvolver conteúdos relativos a textualidade (coesão, coerência, unidade temática, clareza, concordância), também os conteúdos pertinentes á codificação/decodificação (letras, sílabas, direção da escrita, segmentação etc).
Para concluir, segundo Soares (2003), "letramento é, pois, o resultado da ação de ensinar ou aprender a ler e a escrever: o estado ou a condição que adquire um grupo social ou um indivíduo como consequência de ter-se apropriado da escrita".


CAVAZZOTI, Maria Auxiliadora. Fundamentos teóricos e metodológicos da alfabetização. 2. ed. rev. Curitiba, PR: IESD BRASIL, 2013.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.






quarta-feira, 13 de abril de 2016

A educação como alicerce de vida

No inicio de cada ano letivo todas as crianças e jovens de idade escolar, independente de classe social, deveriam estar matriculados e frequentado bons colégios da rede pública ou privada. Uma parte dessa clientela já deve estar encaminhada. Mas por onde andam os demais, aqueles que tanto ou mais necessitam da educação escolar? Quem, realmente, se preocupa com esses cidadãos em formação? Desorientados, eles caminham por aí afora... Até assustam com atitudes ousadas. E quando chegam à escola, muitas vezes se evadem. Como mudar este triste panorama?
Tudo é muito complexo. Antes,  é bom lembrar que a escola e os educadores não são santos milagreiros. E um toque de magia não resolverá o problema. Além do mais, o gripo pela qualidade da educação não pode persistir ecoando em chavões e propagandas desconexas da realidade, nem em legislação defasada; o pior, nem sempre cumprida. Enquanto permanecemos apáticos diante desse grave problema social, a educação não passará em discurso vazio, desviado de seus reais objetivos.
Em pleno século 21, planejadores e executores da educação não podem ficar na política do "faz de conta"... Não dá para aceitar pais dormindo às portas de colégios públicos, implorando vagas para seus filhos. Chega de humilhação! Enquanto na educação pública há tanta falta de recursos e mesmo de estímulo à frequência, a mídia nos mostra, a cada novo dia, a listagem de corruptos invasores do patrimônio público aumentando... Até mesmo verbas destinadas à merenda escolar são surrupiadas. A realidade assusta, agride e desafia.
Diante da tamanha aberração, pesquisa e planejamento educacional, com resultados divulgados, sistemática e publicamente, deveriam ser constantes concomitantes. Não se trata de pesquisa de mercado, mas pesquisa visando motivar a curiosidade científica para a abertura de novos atalhos crítico-criativos, na busca de respostas convincentes... Uma busca envolvendo e exigindo não apenas de educadores bem como de autênticos líderes representantes do poder público alicerçar-se na realidade.
O fluir de um perfil reflexivo, atualizado, embasado em dados reais, possibilitará redelinear o caminho... Quem sabe o caminho ideal? Verbas específicas nas mãos de competentes e honestos administradores frutificarão, sobretudo, quando reconhecerem "o aprimoramento e direito à educação como alicerce de vida...

Texto retirado do Jornal Notícias do Dia - Joinville, quarta-feira, 13 de abril de 2016.
Autora: Maria Aparecida Lemos Silva - Doutora em Educação.

Vamos repensar um pouquinho...

Repensar a Educação é pensar em estratégias e soluções para transformar o ensino e a aprendizagem em saberes significativos para o educando. É sobre tudo, saber que tipo de escola eu sou e qual a escola eu quero ser. Que aluno eu tenho e que aluno eu quero formar. São indagações que todos os que estão envolvidos diretamente com a educação na escola, devem fazer continuamente, para que o ensino realmente aconteça. Para que o Pedagogo e o Educador, através dessa reflexão, possar realmente formar cidadãos críticos, participativos, capaz de ser inserido ao mercado de trabalho e ser útil para a sociedade.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

CONAE 2014 - II CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO


No dia 24 de abril, quarta-feira, será realizada a primeira etapa desta Conferência. Todas as escolas e CEIs irão paralisar suas aulas neste dia, para discutir o Documento Referência da CONAE 2014.

Esta paralisação será estadual e todas as instituições públicas do Estado realizarão assembleia neste dia. 
Cada escola mobilizará, neste dia, pais, comunidade, representantes dos alunos, funcionários e professores.
Será o Dia da CONAE na Escola! Será a primeira etapa da III Conferência Municipal de Educação de Joinville e neste momento serão elegidos os delegados que irão participar das próximas etapas e da plenária final, que será realizada nos dias 27 e 28 de maio.

O tema da Conferência é justamente: “O Planohttp://adf.ly/1GVTzv Nacional de Educação na Articulação do Sistema Nacional de Educação: Participação Popular, Cooperação Federativa e Regime de Colaboração.”

quarta-feira, 16 de março de 2011

APRENDER A PENSAR

Nessa nova era que se vive, as escolas de ensino, não fazem mais os alunos pensarem e terem idéias. A educação está fraca com relação há alguns 30 anos, principalmente em escolas púbicas. Os professores estão largando as informações nas salas de aulas e não fazem os alunos pensarem e refletirem sobre determinado assunto. "A avalanche de informações e conhecimentos que hoje ameaça soterrar cada indivíduo faz com que não exista tempo, nem disposição, para saborear idéias ou refletir sobre suas implicações" (APRENDER, 2002).
A capacidade de pensar, com clareza e com espírito crítico, deveria ser matéria principal nas instituições de ensino, devendo ser ensinada de forma formal e diretamente. "Os objetivos da escola devem estar voltados para o desenvolvimento do pensamento" (APRENDER, 2002).
A escola deve direcionar a mente dos alunos para desenvolver críticas de pensamentos, para que assim, esses alunos possam ver as coisas com mais clareza, sempre pensando e questionando antes de tomar qualquer atitude, pois o poder de pensar é possível de ser desenvolvido em direção a sua excelência, quando submetido à investigação filosófica, o questionamento.
O ato de pensar bem é uma associação dos aspectos críticos e criativos do pensamento. É o complemento fundamental que uma pessoa pode ter para sobreviver, com olhos críticos e objetivos criativos. Desta forma, a pessoa enfrenta qualquer obstáculo ou necessidade.
Aquela pessoa que tem o pensar crítico das coisas buscará sempre a verdade de tudo, porque analisará os fatos ocorridos e as falhas constantes para ter uma base em sua crítica, lembrando que essa pessoa nunca tomará qualquer decisão por tomar, sempre analisará tudo primeiro. O bom pensamento tem por processo a criatividade e racionalidade das coisas, que permite expandir as clarezas dos fatos quando relacionados.
As intituições de ensino formam hoje, jovens cidadãos sem conhecimento nos seus direitos, alienados com a vida que enfrentam quando saem do segundo grau e descobrem que não aprenderam como pensar sobre as decisões que deverão tomar.
A educação tradicional, implantada nas instituições de ensino, não forma mais jovens pensadores e críticos, pelo constrário, tem o objetivo de formar jovens globalizados, com conhecimento no mundo de hoje, mas, no entanto, somente conseguem formar cidadãos soterrados de informações, sem saber lidar com elas.
O professor ou educador tem a função de facilitar as informações, de auxiliar, orientar e até dar suporte necessário para o aluno aprender a construir o seu conhecimento, mas de certa forma, este papel vem sendo mudado, pois os professores só passam as informações para os alunos sem fazê-los questionar sobre o assunto. Então esses jovens alunos não conseguem construir seu próprio pensamento, a sua filosofia, tornando-se necessário até mesmo para o mercado de trabalho.
A educação deve se importar com esses jovens que estão frequentando as salas de aula, para fazer deles cidadãos criativos e participativos. O ato de pensar desenvolve a criatividade o senso crítico da pessoa. Por isso, deve-se introduzir esse processo de "aprender a pensar" nas salas de aula, para tornar esses jovens em cidadãos capazes de formarem a sua própria história. "Cabe a educação transformar esses jovens talentosos e curiosos, que temos em nossas salas de aula, em futuros cidadãos participativos e capazes de pensar" (EDUCAÇÃO, 2002, p. 64).


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

APRENDER a pensar não pode ser um sub-produto da educação. Disponível em:Acesso em: 06 abr. 2002.

EDUCAÇÃO. Rio de Janeiro, v. 10, n. 5, mar. 2002, p. 64.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

EDUCAÇÃO FISCAL

Conf. Decreto 315/2010 foi criado o Núcleo de Educação Fiscal em Joinville - SC.
O Núcleo é formado por funcionários públicos da Secretaria da Fazenda Municipal, com intuito de promover e institucionalizar a Educação Fiscal para o Pleno Exerxício da Cidadania.